ORIGEM DO NOME DA CIDADE
   
São Roque (portuguesa): Foi fundada em 1657 pelo nobre português Pedro Vaz de Barros, que, além da família, levou 1.200 índios para a região e lá plantou trigo e uvas. O nome é referência ao santo de devoção do fundador. São Roque emancipou-se de Araçariguama em 19 de maio de 1983.
 

São Roque faz parte
do Circuito Itupararanga

e do Circuito Taipa de Pilão.

Conheça aqui os roteiros do Estado!

 
DESTAQUE
 

Conheça São Roque, a terra do vinho

Por Jarbas Favoretto*
 

Imigrantes, principalmente italianos, deram à cidade de São Roque a fama de “Terra do Vinho”. Mas ela, também, é uma agradável Estância Turística distando da Capital apenas 60 km.
Historicamente, ali foi um lugar que servia de parada para os Bandeirantes. Onde eles se instalavam era chamada “A Casa Grande”, construída por Fernão Paes de Barros em 1681, hoje uma das atrações.
A cidade tem um trecho de Mata Atlântica de 54 alqueires que é

 

reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade e repleto de castores e lontras, entre outros animais.
Inúmeras adegas da cidade até propiciaram um Roteiro Turístico por entre as principais, enriquecendo um fim de semana diferente.
Outros destaques turísticos: o Morro do Cruzeiro, o Museu de Cera com figuras em tamanho natural e o Parque de Ski artificial. A boa comida de seus muitos restaurantes e pizzarias é outro forte atrativo.

Capela Grande - Foto Site Prefeitura da Estância Turística de São Roque
 
* Presidente da Amitur - Associação dos Municípios
de Interesse Cultural e Turístico
 
 
SKI MOUNTAIN PARK
Por Jarbas Favoretto
   
     
Um senhor Parque
Pode ser chamado de ‘O maior Centro de Lazer de Montanha do Brasil’.

Está a 50 km da capital paulistana e numa montanha a 1.200 metros, parte dela é pura Mata Atlântica.
E com a vantagem de estar na Estância Turística de São Roque, uma de nossas melhores e com inúmeros locais de visitação.
O Ski Mountain Park é atração para toda a família o ano inteiro, seja para exercitar a adrenalina como para desfrutar uma boa gastronomia numa linda vista panorâmica.
Teleférico, pistas de tobogã, alpinismo, rapel, trilhas ecológicas, trilhas para bicicletas, paintball, arco e flecha, mini golf, passeios a cavalo, play ground, viveiro de aves ornamentais, entre outros itens.


A pista que Esqui
Mas a atração principal é mesmo a pista de esqui de 400 metros, de dificuldade média indicada para os que já dominam o esporte.
A pista oferece a mesma sensação de estar esquiando na neve, com a vantagem de você poder fazer isso em qualquer época do ano.
 
Outra pista de 100 metros, de baixa inclinação, é reservada para os iniciantes. Instrutores e monitores ficam à disposição para ajudar a diversão de pais e filhos.  Depois de gastar as suas calorias, você pode recuperá-las na churrascaria local, nos vinhos da taverna, na chopperia, na sorveteria, na doceira ou na casa de chá. Tem tudo para todos os gostos.

Pista de Aprendizado para iniciantes.

É uma das atrações de São Roque, cidade que tem um excelente Departamento de Turismo ao seu dispor (11) 4712-5664.

Foto: Ski Mountain Park.
 
 
CASA GRANDE E CAPELA DE SANTO ANTONIO
     

A Casa Grande e a Capela de Santo Antonio são símbolos de São Roque, datados de 1681 e construídos pelo bandeirante Fernão Paes de Barros, os imóveis configuram em importantes resquícios da história do Brasil enquanto colônia.

Casa Grande foi construída em 1681

Não é por acaso que a rodovia onde estão as construções se chame Mário da Andrade. Foi o escritor brasileiro quem doou o espaço à cidade e permitiu que fosse tombado em 1947, pelo Serviço de Patrimônio Histórico Artístico Nacional. Na ocasião, Mário de Andrade fez apenas uma exigência: ser o zelador do imóvel enquanto estivesse vivo. Sua intenção era tornar a Casa Grande um espaço de repouso para seus amigos artistas.

Desde que o imóvel foi “descoberto” e reabitado, em 1937, tem sido alvo de pesquisas e análises. Naquele momento, metade do prédio da Casa Grande já havia ruído. Ainda assim, foi possível que estudiosos encontrassem padrões tradicionais dos três primeiros séculos de ocupação do planalto paulista.

A primeira restauração aconteceu em 1940. Em 1965, o interior da Capela teve que passar uma nova reconstituição. Num terceiro momento, em 1990, houve uma pesquisa a fim de preservar os elementos decorativos da Capela.

 
Capela sofreu reparações a fim de manter o aspecto original

O imóvel está localizado em meio à paisagem natural, o campo gramado e um lago bem à frente da Casa Grande realçam a sensação de tranqüilidade que o local proporciona.

Paisagem bucólica completa o cenário

Serviço:
Estrada Mário de Andrade, Km 08
Entrada: R$ 1,00 para crianças,
R$ 2,00 adultos
Sábados, domingos e feriados das 9h30 às 16h


Texto: Daniella Cornachione.
Fotos: Prefeitura Municipal de São Roque

 
 
FESTIVAL DE ORQUÍDEAS DE SÃO ROQUE
     

Quem reconhece São Roque apenas pelo cultivo da uva para produção de vinho e de alcachofra está enganado: a cidade também está capacitada para a plantação de orquídeas, por sua altitude e clima serrano.
No festival SÃO expostas cerca de 500 plantas para encher os olhos dos turistas. Quem quiser pode adquirir cerca de 2.500 (duas mil e quinhentas) orquídeas para sua coleção ou ainda para decorar os ambientes familiares e comerciais.

A exposição de orquídeas ocorre na Brasital, um dos pontos turísticos mais belos do município, que este ano comemora 120 anos de história. Os visitantes além das belezas naturais desfrutarão de muita cultura, em uma espécie de museu com roca, dedeira e o tear usado antigamente nesta fábrica.
O local ainda enriquece o conhecimento voltado às plantas, pois está rodeado por mata nativa e acreditem era o habitat de algumas orquídeas como Onc. Varicosum, C. Loodigesii e algumas microorquídeas como Ornithophora Radicans e Pleurothallis.

 

“Essa época [agosto] é uma das melhores para conhecer diferentes espécies de orquídeas de inverno, pois a maioria estará florida”, acrescenta Mauricio Vasconcellos, presidente da AOSR. Ele ainda ressalta que esse é um dos principais motivos do sucesso do evento.
Em uma área de 1.800m2 o público desfruta também do aroma e da beleza das plantas ornamentais.
Para completar o passeio, há exposição de artesanato local, produtos elaborados por alunos de entidades assistenciais da cidade, produtos típicos de São Roque como alcachofra e vinho, além de uma praça de alimentação.





Festival de Orquídeas

Data: julho a agosto – sempre às sextas, sábados e domingos
Local: Brasital – Avenida Aracaí, 250 – Centro – Próximo à Rodoviária de São Roque

 
CURIOSIDADES
 
Aguardando histórias e curiosidades.
 
HISTÓRIA
 
 

São Roque foi fundada na segunda metade do século XVII pelo capitão paulista Pedro Vaz de Barros, pertencente a uma velha linhagem de bandeirantes.

A povoação teve início numa fazenda, onde se utilizava mão-de-obra indígena no cultivo de trigais e vinhedos.

Pouco tempo depois, seu irmão, o capitão Fernão Paes de Barros, fixou-se na região, instalando-se em outra fazenda especializada nas culturas de trigo e uva.

Ambos construíram capelas em suas terras; o primeiro em honra a São Roque, e o segundo, a Santo Antônio. Após lento crescimento, o povoado inicial de São Roque foi elevado, em agosto de 1768 a freguesia, , do município de Santana de Parnaíba, passando à categoria de vila em 10 de julho de 1832.

Nessa época, o transporte era feito, basicamente, por tropas de muares e, conforme o movimento se intensificava, o comércio e a lavoura locais cresciam.

Para suprir a mão-de-obra cada vez

 

mais escassa, os lavradores de então recorreram à importação de escravos africanos, um reforço que possibilitouà vila ampliar sua lavoura e diversificá-la, com novas culturas como as de milho, cana, café, em pequena escala, entre outras.

Como conseqüência desse crescimento, São Roque recebeu foros de cidade em 22 de abril de 1864. No período entre 1872 e 1875, a cidade obteve alguns melhoramentos importantes, entre os quais a fundação da Santa Casa de Misericórdia e a inauguração da Estrada de Ferro Sorocabana. Posteriormente, por ocasião da Proclamação da República, São Roque ganhou novo impulso, com a chegada expressiva da imigração italiana.

A vitivinicultura readquiriu sua importância com o emprego de italianos e também de portugueses.

Mas somente a partir de 1936, no governo de Salles Oliveira, quando recebeu a cooperação e a assistência técnica da Secretaria da Agricultura, constituiu-se, definitivamente, como uma das principais atividades econômicas do município.

 
Fonte: Fundação SEADE - 2006
 
GASTRONOMIA
 
   
 

Outubro é mês de saborear pratos a base de alcachofra e deliciosos vinhos na Expo São Roque. Época da safra dessa fruta comestível, produzida localmente recebe o nome de Roxa de São Roque. O tipo foi desenvolvido pela Embrapa especialmente para o clima da região.

 
Banner 16ª Expo São Roque

Com a realização do Sindusvinho (Sindicato das Indústrias de Vinho de São Roque), a Expo São Roque completa a 16ª edição em 2008. A festa acontece no Recanto da Cascata, são 50 mil m2 cercados por Mata Atlântica, o que proporciona um clima típico de montanha.

 
Alcachofra

Entre as atrações está o Mercado de Alcachofra, onde o visitante pode provar a fruta em variadas formas. A iguaria aparece nas massas, pastel, vinagrete, conserva, strogonoff e até como patê. Grandes vinhateiros da região expõem seu trabalho e a história do vinho na região nos estandes de suas vinícolas. Já no Espaço Gourmet, é possível acompanhar a preparação das delícias, além disso, o visitante tem a chance de comprar a alcachofra in natura, em conserva ou em pratos congelados.

 
Cacho de uva

Acompanhando os protagonistas do evento – o vinho e a alcachofra – são mais 60 estandes com variados produtos entre alimentos e artesanato. Shows de grupos musicais, danças típicas e a banda itinerante completam o quadro de atrações. Por fim, a surpresa fica com a tradicional Pisa da Uva ao som da Tarantela, realizada todos os dias do evento, às 17h.

Texto: Daniella Cornachione

 
 
 
HINO

 

Surge estância altaneira
Um sol ardente por ti
Do verde das tuas matas
Brotam, águas do Aracaí.

Embala um sono sereno
Berço de colo moreno
Poetas da natureza são índios
Do Vale Carambeí.

O grande eleva teu nome
O forte luta até o fim
Rio de sangue nas veias
Da terra onde nasci.

São Roque, São Roque!
Agosto dourado de Ipê
São Roque, São Roque!
 Guardo em meu peito você.

Da serra do Taxaquara
Ao morro do Saboó
Do Ibaté se avista
A surgir "Minha gente paulista”

O teu céu cor de anil resplandece
Sob a luz do Cruzeiro do Sul
Homens frutos da tua videira
Semeando o chão de Vaz Guaçú

Herdeiros das tuas glórias
Cantam o teu esplendor
Filhos do solo sagrado
Bebem na fonte o amor

São Roque, São Roque!
Agosto dourado de Ipê São Roque,
São Roque!
Guardo em meu peito você

 
 
Música: Cândido Francisco de Camargo (Neto)
Letra: Edson João Gonçalves (Edson D'aísa)
 
BENS TOMBADOS
   
 

CAPELA DO SÍTIO QUERUBI

Araçariguama - Fazenda do Instituto Butantã
Processo: 00375/73     
Tomb.: ex-officio em 11/12/74
Tomb.: Iphan em 15/2/50
Livro do Tombo Histórico:
Inscrição nº 98, p. 13, 6/5/1975

A casa do sítio Querubim, antes conhecido como Sítio Velho ou Rio Acima, atualmente em ruínas, foi construída, por volta de 1680, em taipa de pilão e pau-a-pique, com telhado em quatro águas e sótão.

Possuía em seu interior uma capela cujo forro, em madeira, disposto em três planos, com pintura artística de qualidade, de autoria desconhecida, foi em 1947 transportado para o Sítio Santo Antônio.

Do acervo da capela faziam parte as imagens de barro de Santo Antônio e Nossa Senhora da Piedade.

Fonte: Processo de Tombamento / Condephaat • 2007

SEDE DO SÍTIO SANTO ANTÔNIO

Estrada da Mata da Câmara
Processo: 00374/73     
Tomb.: ex-officio em 11/12/74
Tomb.: Iphan em 22/1/41
Livro do Tombo Histórico:
Inscrição nº 99, p. 13, 6/5/1975

Fernão Pais de Barros mandou construir, por volta de 1640, a sede da fazenda e, posteriormente, a capela, originalmente oratório, segundo licença solicitada em 1681. No século XIX, o imóvel teve uma de suas paredes pintada pelo mestiço de nome Belisário, agregado do proprietário Antonio Joaquim da Rosa, barão de Piratininga.

O partido é típico das casas bandeiristas, destacando-se das demais pelo equilíbrio de suas proporções e pela localização da capela, edificada separada da sede. Estas duas edificações foram construídas em taipa de pilão, sobre embasamento de pedra. A capela possui torre, alpendre e um belo trabalho em madeira treliçada. Em seu interior se sobressaem o púlpito, retábulos em madeira esculpida em baixos relevos e as pinturas dos tetos da nave e capela-mor.

Mário de Andrade, escritor e poeta, tornou-se seu proprietário em 1944 e, após a sua morte, a propriedade passou a pertencer ao Iphan.

Fonte: Processo de Tombamento / Condephaat • 2007
 
 
Galeria
 
 
Publicidade
 
 
linha
 
Bandeira
 
 
Brasão