ORIGEM DO NOME DA CIDADE
   
São Pedro do Turvo (portuguesa): Em 1850, famílias saídas de Alfenas (MG) se instalaram na região. Um dos primeiros moradores do povoado, José Teodoro Souza, ergueu uma capela próxima a dois ribeirões, que chamou de São João e São Pedro. Ambos desembocavam no Rio Turvo. Por ali, começou a surgir o povoado, que ficou conhecido como São Pedro do Turvo. Em 1876, emancipou-se de Lençóis.
 
DESTAQUE
 

Aguardando matérias e pautas.

 
 
CURIOSIDADES
 
Aguardando histórias e curiosidades.
 
HISTÓRIA
 
 

A ocupação do território de São Pedro do Turvo teve início na segunda metade do século XIX, quando uma caravana de famílias mineiras, chefiada por José Teodoro de Souza, chegou ao Vale do Paranapanema, com o intuito de estabelecer propriedades agrícolas.

A escolha foi pautada pelas informações do capitão Tito Correia de Mello - fazendeiro, comerciante e homem de influência política na Vila de Botucatu – com quem Teodoro de Souza possuía relações de compadrio.

A primeira iniciativa dos desbravadores foi a construção da Capela de  São João Batista, na confluência dos ribeirões São João e São Pedro.

Depois, deram início às plantações, para garantir a posse das terras, resistir aos ataques dos índios Xavantes e prover o abastecimento de suas viagens exploratórias, que desciam o Rio Paranapanema até a Barra do Tibagi.

 

Delimitou-se, assim, uma vasta região, que abrangia o equivalente à área de mais de 25 municípios, na atual divisão administrativa de São Paulo, e sua posse foi registrada em 1856.

Em 5 de junho de 1875, foi criada a freguesia, com o nome de São Pedro de Campos Novos do Turvo, no município de Lençóis Paulista. Em 24 de fevereiro de 1876, a freguesia foi transferida para o município de Santa Cruz do Rio Pardo, com a denominação de São Pedro do Turvo.

Nessa época, já era um entreposto comercial, aonde os habitantes do Baixo Paranapanema, região dos rios Capivari e do Peixe, vinham buscar diversos produtos, principalmente, o sal. No dia 29 de maio de 1891, tornou-se município autônomo.

 
Fonte: Fundação SEADE - 2006
 
GASTRONOMIA
 
  Aguardando receitas típicas ou tradicionais desta cidade.  
 
HINO

 

Não há hino cadastrado.

 
 
BENS TOMBADOS
   
Esta cidade não possui, atualmente, bens tombados.
 
 
Galeria
 
Bandeira
 
 
Brasão