ORIGEM DO NOME DA CIDADE
   
Riolândia (portuguesa): Habitada primitivamente por índios Caiapós, no final do século passado, a localidade era conhecida como Arraial do Veadinho, por estar às margens do córrego de mesmo nome. Ganhou a denominação atual por situar-se na região do rio Paraná e seus afluentes.
 
DESTAQUE
 

Aguardando matérias e pautas.

 
 
CURIOSIDADES
 
Aguardando histórias e curiosidades.
 
HISTÓRIA
 
 

As terras do município de Riolândia eram habitadas, inicialmente, pelos índios caiapós. Seu povoamento resultou da iniciativa do padre José Vicente Gonçalves de Macedo que, proveniente de Minas Gerais, chegou à região para abrir um posto de catequese.

Começou a explorar as margens do Rio Grande, formando o Porto da Aldeia, situado mais precisamente na foz do Rio Verde. Ao mesmo tempo, outra via de penetração era aberta em direção às margens do Rio Turvo, onde foi fundada a Colônia Marques.

Para facilitar o contato com outras colônias além do Rio Turvo, construiu- se um segundo porto, conhecido por Porto do Marques. Com isso, várias famílias que foram atraídas para a região preferiram se estabelecer nas vertentes do Rio Turvo, que apresentava vegetação favorável ao pastoreio.

 

De todo modo, o aumento populacional e o desenvolvimento da agricultura foram suficientes para promover também o povoamento nas vertentes do Rio Grande.

Em fins do século XIX, já existia, portanto, um povoado com algumas casas e uma pequena capela, na margem do Córrego do Veadinho, que originou um arraial com o mesmo nome.

Em 12 de março de 1935, foi elevado a distrito do município de Olímpia, posteriormente transferido, em 30 de novembro de 1938, para Paulo de Faria.

Sua denominação sofreu duas alterações: para Veadinho do Porto em 30 de novembro de 1944, e para Riolândia, em 30 de dezembro de 1953, quando adquiriu autonomia municipal.

 
Fonte: Fundação SEADE - 2006
 
GASTRONOMIA
 
  Aguardando receitas típicas ou tradicionais desta cidade.  
 
HINO

 

Não há hino cadastrado.

 
 
BENS TOMBADOS
   
Esta cidade não possui, atualmente, bens tombados.
 
 
Galeria
 
Bandeira
 
 
Brasão