ORIGEM DO NOME DA CIDADE
   
Ibitinga (tupi): A palavra significa terra branca, por causa do solo claro da região. O povoamento iniciou-se no final do século passado, por volta de 1880. Ganhou status de município em 04 de julho de 1890.
 
 
 
 
Aeroporto de Ibitinga - SDIG 
End.:  Rodovia Ibitinga/Itapolis, s/n
Ibitinga - São Paulo - Brasil
Telefone: (16) 3342-5517 
 
 
DESTAQUE
 
 

IBITINGA: CAPITAL NACIONAL DO BORDADO

     

Ibitinga apresenta um desempenho expressivo na produção de peças bordadas, tanto que em 1974 foi criada a Feira do Bordado. Só no ano seguinte a feira foi oficializada tendo recebido o título de “festividade de interesse turístico” e o nome de Feira do Bordado de Ibitinga. Nicola Lucínio Sobrinho, enquanto prefeito da cidade, adotou o título que o município ostenta até hoje: “capital nacional do bordado”.

Atualmente, a feira é composta por mais de cem empresas que exibem roupas de cama, mesa e banho, vestidos de noivas, e as mais diversas peças bordadas. Em 2008, a feira teve sua 35ª edição e aconteceu de 12 a 20 de julho. Dados comparativos divulgados pela prefeitura local apontam que de 2002 até 2008 o número de empresas pulou de 118 para 195.

Foto durante a 34ª Feira do Bordado de Ibitinga, em 2007

Não foi somente a quantidade de expositores que registrou um aumento expressivo nos últimos anos: em 2007 cerca de 120 mil pessoas compareceram ao evento, sendo que em 2008, este número foi para 140 mil, o que corresponde a três vezes o tamanho da população de Ibitinga. Estima-se que o evento tenha gerado um volume de negócios de 6 milhões de reais.

 

Além dos estandes exibindo peças bordadas, a festa oferece, inclusive, apresentações musicais. Em 2008, o público contou com os shows de Jota Quest, Biquíni Cavadão, Victor & Leo, Edson & Hudson, entre outros.  A realização fica por conta da Prefeitura da Estância Turística de Ibitinga e da Secretaria Municipal de Turismo.

O local onde o evento é sediado atualmente, o Pavilhão Permanente de Exposições “Dr. Licínio Hilmar de Oliveira Arantes, tem sido o palco da feira desde a 30ª edição. O local possui 25 mil m2 e é constituído por três pavilhões, chamados A, B e C. Anexado ao último estão o parque de diversões para crianças e uma segunda praça de alimentação.

Pavilhão Permanente de Exposições “Dr. Licínio Hilmar de Oliveira Arantes”, movimento no pavilhão A durante a Feira do Bordado

A Feira do Bordado de Ibitinga é uma amostra do expressivo desempenho que a cidade apresenta no setor. O bordado se tornou, ao longo do tempo, a principal fonte de renda de grande parte dos ibitinguenses, direta ou indiretamente.



Texto: Daniella Cornachione
Crédito: Prefeitura Municipal de Ibitinga

 
 
CURIOSIDADES
 
Aguardando histórias e curiosidades.
 
HISTÓRIA
 
 

Em 1842, aconteceu em Minas Gerais a Revolução Liberal, rebelião que foi controlada pelas forças Imperiais, mas os fatos forçaram muitas famílias a procurarem novas terras. Esta é uma das teorias para explicar a migração para o interior paulista; outros historiadores acreditam que a decadência da mineração do ouro seja o motivo.

Foi no final do mesmo que as famílias mineiras, Landim e de Pedro Alves de Oliveira o Velho Amaro, chegaram à região de Campos de Araraquara, de onde os Amaro partiram para o norte e fundaram a cidade de Boa Vista das Pedras, mais tarde conhecida como Itápolis.

Os Landim rumaram para o sul e se estabeleceram na cachoeira de Wamicanga, povoado que foi quase dizimado pela febre palustre e por ataques indígenas.Partiram então, em direção ao nordeste até chegarem na confluência dos córregos Saltinho e São Joaquim, terra que foi dividida entre o clã, para que fosse mais bem cultivada.

 

A Miguel Landim coube a região entre o Córrego São Joaquim e o Córrego Água Quente, onde foi formado o povoado da Capela da Água Quentedo que, o ano provável da fundação é 1860.

No dia 3 de outubro de 1870, Miguel Landim e sua esposa Ana Custódio de Jesus, doaram à Mitra Diocesana o patrimônio onde se formou a Vila de Ibitinga.

Em 1885, por Lei provincial de número 105, Ibitinga foi elevada à categoria de Distrito de Paz e em 4 de julho de 1890, por força da Lei de número 66, assinada pelo então governador, Prudente de Moraes Barros, teve a sua emancipação político-administrativa.

Em 1987, o município tornou-se Área de Proteção Ambiental.

Em 1992, de acordo com a Lei nº 8.199, o município foi elevado a Estância Turística.

 
Fonte: Fundação SEADE - 2006
 
GASTRONOMIA
 
Aguardando receitas típicas ou tradicionais desta cidade.
 
HINO

 

Não há hino cadastrado.

 
 
BENS TOMBADOS
   
Esta cidade não possui, atualmente, bens tombados.
 
 
Galeria
 
Conheça a cidade
por suas imagens!
 
 
 
Publicidade
 
 
linha
 
 
 
 
Bandeira
 
 
Brasão