ORIGEM DO NOME DA CIDADE
   
Brodowski (polonesa): A data de fundação é 05 de setembro de 1894 e o nome é uma homenagem ao engenheiro polonês Alexander Brodowski, responsável pela construção da estação de trem ao redor da qual surgiu a cidade. Foi elevada a município em 22 de agosto de 1913.
 
DESTAQUE
 

NA TERRA NATAL DE PORTINARI, O ARTISTA GANHOU
UM MUSEU EM SUA HOMENAGEM

     

Portinari nasceu em 1903, numa fazenda próxima à cidade de Brodowski, em São Paulo. No local onde ganhou a vida, está instalado, desde 1970, o Museu Casa de Portinari. A homenagem ao artista abriga parte de seu acervo, principalmente aquele em pintura mural – uma vez que as gravuras estão nas paredes da construção. A temática sacra é predominante nas obras.

Fachada do Museu Casa de Portinari

Os trabalhos, realizados nas técnicas de afresco e têmpera, dividem espaço com uma coleção de desenhos, objetos pessoais e profissionais, móveis, utensílios e documentos que pertenceram à sua família e a Portinari.

O museu é organizado em salas de exposições e outras que ainda mantém o aspecto original de quando a família Portinari vivia no local. O artista passou a infância e juventude na residência. Além de pintor, Portinari também atuou como poeta, desenhista e político. Por esse motivo, no museu, existem salas de exposições que retratam as várias facetas do artista.

Detalhe da “Capela da Nonna”
 

Uma das obras que mais prende a atenção no museu é o a capela. O interessante é que os rostos dos santos retratados nas paredes – da chamada “Capela da Nonna” – possuem as feições dos membros da família de Cândido Portinari. construída em 1941 nos jardins da casa. O espaço foi um presente a avó do artista para que pudesse realizar suas orações ali mesmo, no quintal da casa.

Alguns cômodos da casa possuem a decoração original: cozinha da casa onde Portinari morou

A Casa de Portinari foi tombada, primeiramente, pelo então Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico nacional, em 1968. Um ano depois, a casa foi desapropriada e adquirida pelo Governo do Estado de São Paulo. Já em 1970, a construção foi tombada, só que dessa vez pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo. No mesmo ano o museu foi fundado; desde então, o local passou por intervenções a fim de restaurar danos.

Em frente ao museu Casa de Portinari fica a Igreja de Santo Antônio localizada na Praça Cândido Portinari. Em 1942, o artista doou uma pintura em óleo sobre tela retratando o santo. Conta-se que a vontade de Portinari é que a pintura nunca saia dali.


Serviço

Praça Candido Portinari, 298
Visitação pública: terça a sexta das 8h às 12h e das 13h às 17h
Aos sábados, domingos e feriados das 9h às 12h e das 13h às 17h  
Tel: 16 3664 4284

Texto: Daniella Cornachione
Fotos:
Douglas Video Foto
 
VISITE BRODOLWSKY
Por Jarbas Favoretto*
 

Numa casa que foi a residência de Cândido Portinari, a qual é a maior atração da cidade de Brodowski, você tem uma rara oportunidade de constatar as pinceladas daquele pintor pelas diversas paredes da casa e até da ‘Capela da Nonna’ que ele mandou construir.

Além de ser pinturas atraentes, cada uma tem particular história que é contada com muito carinho para os visitantes por uma equipe competente e bem dirigida. Nelas Portinari externava o seu amor à arte.

Um dos afrescos e têmpera que lá estão retrata a ‘Fuga para o Egito’, pintura que foi objeto de um filme que pode ser exibido aos visitantes, e no qual os técnicos explicam como é que foi feito.

Também estão expostos cavaletes, tintas e pincéis por ele usados, inclusive o inigualável ‘Azul de Portinari’ cujo contato com a pele o levou à morte.

UMA  ALEGRE  VISITA

Na igreja existente numa praça em frente ao Museu Casa de Portinari, tem uma tela espetacular do artista, retratando Santo Antônio, (o santo casamenteiro).

 

Para qualquer parte da igreja que você vá, parece que a imagem se vira para te acompanhar, tal a perfeição da obra. Outra característica é a sensação da imagem estar saindo da tela.
Registre-se que próximo de Brodowski, na cidade de Batatais, está o maior acervo de obras sacras de Portinari. Visite tudo isso. A entidade mantenedora é a Associação Cultural de Amigos do Museu Casa de Portinari juntamente com a Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. 

Museu Casa de Portinari. Foto: Rubens Chiri
 
* Presidente da Amitur - Associação dos Municípios
de Interesse Cultural e Turístico
CURIOSIDADES
SELO COMEMORATIVO DA SEMANA CULTURAl SAULO RAMOS
 
SELO COMEMORATIVO DA SEMANA CULTURAl SAULO RAMOS
 

Brodowski é terra natal de Saulo Ramos, nascido com o nome de José Saulo Pereira Ramos. Advogado e jurísta emérito, foi Consultor Geral da República e Ministro da Justiça do Governo Sarney e cognominado por Guilherme de Almeida de "O Poeta do Café" pela obra poética que escreveu sobre o Café.

Acima, o selo comemorativo da 1a Semana Cultural Saulo Ramos, agora em sua terceira edição. A semana acontece todo ano de 02 a 08 de junho, sendo dia 08 o aniversário do poeta. O selo apresenta o retrato de Saulo Ramos feito a crayon, um presente de Portinari ao poeta. A Semana Cultural Saulo Ramos foi instituída pela Lei Municipal n.1.900/2008. O evento faz parte do calendário cultural da cidade. (Fonte: Secretaria de Cultura da Cidade. Janeiro/ 2010)

 
HISTÓRIA
 
 

O ponto de partida para a formação de Brodowski foi a instalação de uma linha ferroviária que unia Visconde de Parnaíba e Batatais. O engenheiro Brodowski, inspetor da Companhia Mogiana, atendendo à demanda dos moradores da região, construiu, em 1893, uma estação em terreno doado por Lúcio Enéas de Melo Fagundes. Várias casas foram construídas ao redor da estação, formando então o povoado, fundado no ano seguinte.

 

Nessa época, foram erguidas a Capela de Santa Cecília e a de Nossa Senhora Aparecida, atual Capela de Santo Antônio. Tal crescimento possibilitou que o povoado fosse elevado a distrito do município de Batatais em 2 de setembro de 1902 e, posteriormente, em 22 de agosto de 1913, adquirisse autonomia municipal.

 
Fonte: Fundação SEADE - 2006
 
GASTRONOMIA
 
Aguardando receitas típicas ou tradicionais desta cidade.
 
HINO

 

HINO À BRODOWSKI

Música: JOÃO ALBARELLO
Letra: JOAQUIM SEGHETTO JR
14 de janeiro de 1.933

Lírio azul nosso ardor é teu hastil
teu perfume embriaga mais que a luz
do arrebol ao sol por tuas manhãs
tem o langor da própria viração!

Teu fanal, tua lira é teu bouquet
Teu escrínio é teu nome a rescender
da tua corola que ao sol rutila
pende teu genio a farfalhar!

Vamos pois tuas pétalas plasmar
na maçã que a tua glória entreabrirá
com suas mãos de festas do porvir
e a Deus pedir que em ti nos abençõe!

Flor hóstia de luz
a acrisolar de todos a atenção
Deus vemo-la assim de tez ao sol
a perfumar entre vergéis!

Liz entre outras mil na seiva em flor
Tua prole é teu matiz
Nossa BRODOWSKI é hoje um hino
desabrochando em seus perfis !!!

 
 
BENS TOMBADOS
   
 
Museu Casa de Cândido Portinari   CASA DE CÂNDIDO PORTINARI

Praça Cândido Portinari
Processo: 16223/70     
Tomb.: ex-officio em 22/1/70
Tomb.: Iphan em 9/12/68
Livro do Tombo Histórico:
Inscrição nº 7, p. 2, 27/4/1971



Foto: Foto Douglas

Cândido Portinari (1903–1962), filho de Giovanni Batista Portinari e Domenica di Bassano, nasceu na Fazenda Santa Rosa e, em 1912, transferiu-se com a família para Brodósqui, residindo na casa que pertenceu aos seus avós. Desde pequeno interessou-se pela pintura e, na década de 20, morando e produzindo no Rio de Janeiro, obteve o reconhecimento da crítica especializada pelo seu trabalho. A partir daí, projetou-se mundialmente, dedicando toda a sua vida à produção artística e legando-nos um acervo de inestimável valor.

A residência, construída no começo deste século, foi desapropriada, em 1969, pelo governo estadual. Atualmente nela funciona o Museu Cândido Portinari onde podem ser vistos 6 afrescos e 9 obras a têmpera. Do lado da casa, em uma capela, os afrescos por ele pintados foram restaurados em 1993.

Fonte: Arquivo Condephaat / Condephaat • 2007
 
Galeria
 
Bandeira
 
 
Brasão